11 de abr de 2010

Confiro-me profundidade no silêncio, que ora encontro, ora me desaparece. Não é poço escuro, é um passo. Minha profundidade é um passo que dou cada vez que me aproximo de mim, para dentro. Caminho tateando as batidas do coração, sentindo as vibrações dos pensamentos, mergulho, sou mar. Animal marinho me atravessa azul.